Menu

Rádio

MirandenseBrasil






Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.


    IPCA-15 registra maior inflação para o mês de setembro desde 2012

    23 SET 2020
    23 de Setembro de 2020
    O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) subiu 0,45% em setembro, 0,22 ponto percentual (p.p.) acima da taxa de agosto (0,23%) e maior resultado para um mês de setembro desde 2012, quando ele foi de 0,48%.

    Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), seis tiveram alta em agosto. A maior variação (1,48%) e o maior impacto (0,30 p.p.) no índice vieram do grupo Alimentação e Bebidas, acelerando em relação ao resultado de agosto (0,34%).

    A alta no setor foi puxada não só pelas carnes – cujos preços subiram 3,42% e tiveram o maior impacto entre os alimentos, de 0,09 p.p. –, mas também pelo tomate (22,53%), óleo de soja (20,33%), arroz (9,96%) e leite longa vida (5,59%). Os três últimos itens acumularam altas de 34,94%, 28,05% e 27,33% no ano, respectivamente.

    O IPCA-15 calcula a variação de preços do dia 16 do mês anterior ao dia 15 do mês seguinte
    A alimentação fora do domicílio passou de queda de 0,30% em agosto para alta de 0,36% em setembro.

    Disparada dos alimentos expõe distorção entre inflação real e oficial

    Transportes teve alta de 0,83% e contribuição de 0,16 p.p.. Artigos de residência subiram 0,79%, apesar da desaceleração em relação ao mês anterior (0,88%). Já a contribuição negativa mais intensa no índice do mês (-0,09 p.p.) veio de Saúde e Cuidados Pessoais (-0,69%). 

    O IPCA-E, que é o IPCA-15 acumulado no trimestre, foi para 0,98%, acima da taxa de 0,26% registrada em igual período de 2019. No ano, o IPCA-15 acumula alta de 1,35% e, em 12 meses, de 2,65%.

    Todas as regiões do país tiveram variação positiva em setembro. O maior resultado foi em Goiânia (1,10%), devido as altas nos preços da gasolina (8,19%) e do arroz (32,75%). Já a menor variação foi na região metropolitana de Salvador (0,18%), onde a queda nos preços da gasolina (-2,66%) contribuiu com -0,12 p.p. no resultado do mês.

    Fonte:R7.com
    Edição Alex Araujo.
    Rádio Mirandense Brasil.
    Voltar

    © 1997-2014  RADIOMIRANDENSEBRASIL.COM

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.