Menu

Rádio

MirandenseBrasil






Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.


    Lava Jato é contra absolvição de Marisa Letícia em caso tríplex

    16 OUT 2017
    16 de Outubro de 2017
    Aex-primeira-dama Marisa Letícia está morta desde fevereiro, mas sua absolvição do processo do tríplex em Guarujá (SP) ainda é discutida na Justiça.

    Nesta segunda (16), procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba se posicionaram contra essa possibilidade.

    Ela respondia por três crimes de lavagem de dinheiro e teve a punibilidade extinta pelo juiz Sergio Moro após a morte, mas não houve absolvição sumária.

    A defesa de Marisa e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou com recurso no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre) pela absolvição. Eles argumentam que o Código de Processo Penal prevê a medida caso a punibilidade seja extinta.

    Embora a absolvição não tenha efeito no processo criminal contra Lula, aliados do ex-presidente ouvidos pela reportagem acreditam que a decisão seria simbólica e alimentaria politicamente a defesa do petista.

    A manifestação do Ministério Público Federal discorda do pedido e, em documento protocolado nesta segunda (16), diz que "não há como o magistrado emitir juízo sobre a inocência ou a culpa da acusada".

    "A decisão que declara extinta a punibilidade não é absolutória, na medida em que o magistrado, ao reconhecer uma situação jurídica, simplesmente declara que o Estado não tem mais a possibilidade de aplicar a sanção penal ao acusado, deixando, portanto, de analisar se ele é inocente ou culpado", diz o texto.

    "Nessa linha, a pleiteada absolvição sumária de Marisa Letícia Lula da Silva, in casu, demanda análise de mérito da acusação, exame esse que o Juízo recorrido encontra-se impedido de empreender, em função da extinção da punibilidade da ré, diante de seu óbito".

    O pedido da defesa ainda será julgado pela corte.

    Primeira-dama do Brasil de 2003 a 2010, Marisa Letícia morreu aos 66 anos, após sofrer um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

    A acusação do Ministério Público Federal no caso do tríplex havia sido acolhida pela Justiça Federal, e tornado a ex-primeira-dama ré, em 20 de setembro de 2016. Em março, Moro extinguiu a punibilidade.

    "Pela lei e pela praxe, cabe, diante do óbito, somente o reconhecimento da extinção da punibilidade, sem qualquer consideração quanto à culpa ou inocência do acusado falecido em relação à imputação", disse o juiz. "Não havendo condenação criminal, é evidente que o acusado, qualquer que seja o motivo, deve ser tido como inocente."

    Em julho, no mesmo processo, Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso. Ele nega as acusações e recorre. O processo será julgado pelo TRF-4, ainda em data indefinida. Com informações da Folhapress.

    Lava Jato é contra absolvição de Marisa Letícia em caso tríplex


    Voltar

    © 1997-2014  reisdoreggae.com.  Todos os direitos revervados.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    Clique aqui para editar.

    PEÇA SUA MÚSICA
    STUDIO
    FONE:(98) 3464-1997
    OU PELO NOSSO 
    WhatsApp:(55)98-98159-6533

    Clique aqui para editar.